Quando

26 de Outubro de 2016
08:00 às 18:00

Local

São Paulo
Rua das Olimpíadas, 205, Vila Olímpia

Descontos para Associados e Filiados ao Sinduscon-SP!

Vantagens do BIM vão além da economia de custo

Análise é do especialista norte-americano David Gerber, que estará presente no 6º Seminário Internacional BIM, do SindusCon-SP

Informação de alta qualidade e confiabilidade, com economia de recursos, tempo e dinheiro. Essas são apenas algumas das vantagens proporcionadas pelo uso do BIM na construção civil e que para o professor das faculdades de Arquitetura e Engenharia da Universidade do Sul da Califórnia (EUA), David Jason Gerber, contribuem de forma decisiva para o avanço desse modelo.

Gerber estará na capital paulista em 22 de outubro para participar da sexta edição do Seminário Internacional BIM, promovido pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP). Em sua palestra, o especialista apresentará alguns cases de projetos realizados nos últimos 12 anos que sem o BIM provavelmente não teriam saído do papel.

O especialista conversou com a reportagem do Portal SindusCon-SP sobre o assunto. Leia abaixo os principais trechos da entrevista:

Como avançar na implementação do BIM em momentos de desaceleração na economia, como o que vivemos hoje?

Não sou especialista em Brasil, mas acredito que encorajar os governos a usar o BIM seria um bom começo para uma introdução mais uniforme. A história do BIM, globalmente falando, mostra que é possível se obter os melhores resultados e evitar retrabalho, com economia de custos a partir de informações precisas e de qualidade. Acima de tudo, estamos falando de um processo que facilita a gestão de risco. O que poderia ser melhor em um momento como esse?

A questão do custo ainda é um problema?

Não vejo como um problema. Os custos gerados por treinamento e adaptações dentro de uma empresa nem são tão altos assim. Nos Estados Unidos já estamos em um segundo momento, no qual pensamos em quais seriam os ganhos secundários e de longo prazo gerados pelo BIM.

Para ilustrar essa realidade, em minha palestra vou apresentar uma série de projetos construídos nos últimos 12 anos que sem esse modelo não seriam viabilizados. Também vou falar um pouco sobre o papel do arquiteto nesse cenário.

No Brasil o debate tem envolvido as universidades, com sugestões para a atualização da grade curricular de engenheiros e arquitetos. Como o assunto foi tratado nos Estados Unidos?

Essa é uma discussão muito importante, pois é preciso ter pessoas bem preparadas. Para que seu funcionário consiga ‘entregar’ com sucesso todas as potencialidades oferecidas pelo BIM o construtor deve investir em sua formação. Mas falhas na graduação básica desse funcionário comprometem todo o processo.

O Brasil é uma grande economia, com uma população gigantesca e muitos projetos para realizar. Na minha avaliação a discussão agora deveria ser sobre as prováveis perdas por não implementá-lo e não sobre custos.

Nos Estados Unidos, nossos estudantes estão bem adaptados à linguagem dos modelos 3D, o que torna o BIM mais acessível. Nossa grade curricular atualizada também contribui para isso.

Futuro do BIM

No painel “O futuro do BIM agora” também estarão presentes o estrategista de construção, energia e recursos naturais da Autodesk, Dominic Thasarathar, que abordará as perspectivas para a construção de edifícios e infraestrutura para os próximos 20 anos, e a professora da Universidade do Sul da Califórnia (EUA) Burcin Becerik-Gerber, que palestrará sobre o BIM e realidade virtual/aumentada.

Sobre o evento:

Criado pelo SindusCon-SP em 2010, o Seminário Internacional BIM chega a sua sexta edição consolidado como o evento mais importante do gênero no país, reconhecido por antecipar temas e tendências do mercado, com a presença de renomados especialistas do Brasil e do exterior.

Sobre o SindusCon-SP

O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) é a maior associação de empresas do setor na América Latina. Congrega e representa 650 construtoras associadas e 15 mil filiadas em todo o estado. A construção paulista representa 34% da construção brasileira, que por sua vez equivale a 5,5% do Produto Interno Bruto do Brasil.

Assessoria de imprensa SindusCon-SP:

Aline Horvath: ahorvath@sindusconsp.com.br Tel.: (11) 3334-5688
Enzo Bertolini: ebertolini@sindusconsp.com.br Tel.: (11) 3334-5659